Milhas aéreas, ou dinheiro? Novas possibilidade para seu cartão


milhas aéreas, ou dinheiro?

Há poucos dias, publicamos um texto sobre o que tipo de cartão seria mais vantajoso. Consideramos dois tipos de cartão, aqueles que rendem milhas aéreas e os cartões sem taxa de anuidade. Em resumo, chegamos as seguintes conclusões:
1 –Calcule quantas milhas você ganha por real

2 –Veja quanto você pode gastar por mês no novo cartão de crédito

3 –Verifique se o banco é parceiro da sua companhia aérea

4 –Descubra seu ganho em milhas e subtraia a anuidade

 

[12 * (seus gastos * milhas por real) + 40%] – anuidade do cartão = seu lucro em milhas

 

Porém, a reportagem da Folha de S.Paulo colocou mais um ator nessa equação: os cartões com “Cash Back”. A nova expressão denomina as ferramentas de crédito que oferecem dinheiro no lugar de pontos e milhas.

De acordo com a matéria, essa têm sido a opção favorita principalmente das novas empresas e é uma alternativa, a frustação de alguns clientes que não conseguem juntar milhas aéreas o suficiente para uma passagem, ou vender milhas.

A Nubank conduz um programa em fase de teste, que custará 200 reais e garantirá descontos nas corridas do Uber, assinatura do Netflix e Spotify Premium. Segundo a diretoria da empresa de crédito, só será vantajoso para usuários com gastos superiores a 1500 reais mensais.

Acumular milhas aéreas é melhor que receber dinheiro

Apesar de a novidade ser vista com bons olhos, ao estimular a concorrência entre programas de fidelidade, a conclusão é clara. Milhas aéreas ainda são bem mais vantajosas que o retorno em dinheiro.

Para tal conclusão, a Folha considerou dois padrões de gastos: 2.000 reais mensais e 5.000 reais. Bem como, os respectivos retornos em milhas e em dinheiro.

Os usuários no primeiro grupo tendem a receber 240 reais por ano, ou 7.500 pontos. A matéria não considerou os 40% de bônus, o que elevaria o saldo para 10.500 pontos.

Para usuários no segundo grupo, a diferença entre o retorno em milhas aéreas e com dinheiro é ainda maior. Quem gasta, em média 5 mil reais, receberá 1.200 reais no ano e 28.125 pontos. Novamente sem considerar os 40% de bônus. O que elevaria o saldo a 39.375 pontos de fidelidade.

Se você tiver de pagar para participar do programa, como acontecerá com a Nubank, você pode ter até prejuízo. Sendo assim, não precisa ter dúvidas. Vender milhas aéreas é a melhor opção.