Vale a pena pagar uma anuidade mais alta para acumular milhas?


Acumular milhas no cartão de crédito

Apesar do nome, as milhas aéreas extrapolaram e muito a barreira das companhias de aviação. Hospedagens, aluguel de carro, compras on-line e despesas com combustível podem te deixar mais próximo da viagem dos seus sonhos.

Entre todas essas formas de acúmulo de milhas nos programas de fidelidade, a que mais caiu no gosto dos brasileiros foi através dos gastos com os cartões de crédito. Apesar de constantemente apontados como vilões das finanças, se usados com sabedoria os cartões podem te dar mais segurança na compra e te fazer economizar com as milhas aéreas.

Mas calma, não vai ligando para todas as operadoras de crédito para pedir milhares de cartões, porque apesar do que dizem, milhas aéreas não são de graça e tem seu custo embutido no preço do cartão. Para que você não saia no prejuízo na hora de resgatar uma viagem, a equipe doblog da CSM, especialista em milhas, preparou uma série de dicas para você escolher o melhor cartão de crédito.

Para isso, você vai ter que fazer algumas contas antes de descobrir qual o cartão de crédito ideal para você. Então vamos lá!

1 – Descubra quantas milhas você vai ganhar pelos gastos em reais

Já temos nossa primeira equação, pois o número de milhas é indexado com base no dólar e para descobri quanto você ganhará pelos gastos no Brasil é preciso dividir o número de pontos pela cotação em dólar.

Você precisa estar atento também à taxa de transferência, pois a maioria dos cartões não acumula milhas aéreas, e sim ponto de fidelidade bancária como o Ponto pra Você do Banco do Brasil e o Sempre Presente do Itaú. Além disso, a conversão nem sempre mantém o mesmo valor da pontuação original. Como exemplo, cada milha na LATAM ou na Azul custam 1,2 pontos do cartão de crédito.

Você também já pode adicionar um bônus de 40% sobre as milhas do cartão, pois é essa a promoção média de programas como Smiles e TudoAzul.

2 – Verifique seu gasto médio no cartão

Descubra todas as compras que você pode realizar com o cartão de crédito. Transfira tudo para um único cartão de sua preferência. Veja quanto é o gasto mensal e multiplique pelos 12 meses do ano.

3 – Cheque se o cartão é parceiro do programa de milhas em que deseja acumular pontos

Aqui temos duas ressalvas:

Primeiro, verifique se o banco ou instituição financeira que emite seu cartão de crédito é parceiro de sua companhia aérea predileta. Bancos como o Itaú e o Bradesco são parceiros de grandes companhias aéreas, como LATAM, Gol, Azul e Avianca.

Segundo, descubra quantas milhas são exigidas para transferência para o seu programa de fidelidade. Algumas instituições financeiras exigem o mínimo de 10 mil pontos acumulados em seus programas antes de transferí-los para a companhia aérea. Se você não conseguir acumular essa quantidade de milhas em até de 24 meses, descarte esse cartão.

4 – Calcule o ganho em milhas e subtraia a anuidade do cartão

Para isso, você deve multiplicar seus gastos mensais no cartão de crédito pela quantidade de milhas ganhas por real. Multiplique o valor encontrado por doze, consulte o valor pago por essas milhas no nosso site e subtraia a anuidade do cartão de crédito. Esse valor irá representar seu ganho ou prejuízo com a manutenção dessa ferramenta.

Uma ressalva importante: nenhum cartão com milhas vale a pena para quem gasta menos de 3 mil reais mensais. Para usuários com gastos inferiores a estes, o melhor são as opções de cartão sem anuidade, como os novosNubanke Digio, ou o Santander Free.

Resumindo:

1 –Calcule quantas milhas você ganha por cada real gasto

2 –Veja quanto você pode gastar por mês no cartão de crédito

3 –Verifique se o banco é parceiro da companhia aérea de sua preferência

4 –Descubra seu ganho em milhas e subtraia a anuidade

(12 * seus gastos * milhas por real + 40%)*cotação do site CSM – anuidade de cartão = lucro ou prejuízo com o acúmulo de milhas

Curtiu o texto? Depois conta pra gente quanto você economizou aovender milhascom o melhor cartão de crédito.