Os segredos para acumular (e gastar) suas milhas aéreas!


Fazer voos sem gastar nenhum centavo, receber serviço exclusivo e sem filas em aeroportos e ainda voar de primeira classe pelo preço de passagem econômica. Tudo é possível para quem sabe acumular milhas aéreas. E nem sempre é preciso voar pela mesma companhia. Cartões de crédito, alianças, hotéis, tudo pode render milhas.

Para acumular milhas:

1) Faça do cartão de crédito seu melhor amigo
Escolha o cartão que ofereça o melhor bônus de aquisição, bons múltiplos por dólar contabilizado e uma boa validade para os pontos.

Certifique-se de que seu cartão permite trocar seus pontos por milhas dos principais programas de fidelidade. Às vezes, é possível acumular pontos suficientes no cartão de crédito para embarcar no voo de uma empresa que você nunca comprou passagens.

Não deixe de realizar todas as compras (do supermercado à viagem internacional) com o cartão de crédito. Se você souber dosar os gastos, pode transferir as contas do dia a dia (como telefone, seguro saúde, etc) para a fatura do seu cartão de crédito. Ficar atento a promoções das operadoras de cartão também pode duplicar suas milhas.

2) Seja fiel (ao menos a sua companhia aérea)
Selecione um programa de fidelidade capaz de atender aos seus vôos (isso vale também para as alianças) e tente sempre viajar pela mesma companhia. “A infidelidade só gera um monte de milhas em diversos programas que nunca te levarão a lugar algum. O nome fidelidade não está ai de bobeira”, explica Purisch. Concentrando-se em um único lugar, você pode subir de status no programa e acumular até 100% milhas a mais no mesmo voo.

3) Use conexões de voo
Se seu programa contabiliza milhas voadas, opte sempre por conexões. Elas permitem aumentar seus ganhos em relação a voos diretos.

Para resgatar passagens-prêmio

1) Pesquise outras companhias
Às vezes, o voo que você pretende gastar suas milhas está em promoção em outra empresa aérea. Neste caso, vale apostar na promoção e guardar suas milhas para o futuro.

2) Certifique-se de sua presença no voo
Não sabe se poderá viajar naquele dia e horário? É melhor não usar as milhas, a não ser que você tenha certeza de que irá voar. Trocar de datas em uma passagem adquirida com milhas é sempre mais complicado do que nos casos pagos com dinheiro. Sem falar que você pode arcar com uma multa de milhas ou de pontos.

3) Procure com antecedência
Voos em feriados ou em alta temporada normalmente são mais caros. Troque suas milhas por passagens para esta época do ano com uma boa antecedência (ao menos três meses, mas o ideal é acima de seis meses).

4) Dê preferência a voos longos
Normalmente, um voo longo dentro da América do Sul, como Porto Alegre-Santiago, custa o mesmo valor em milhas de uma viagem dentro do Brasil, como Rio de Janeiro-São Paulo. Logo, é melhor guardar as milhas para um voo mais caro.

5) Atente-se a promoções
Assim como existem passagens com preços promocionais, também existem bilhetes-prêmio em promoção para comprar com milhas.

6) Tente sempre trocar suas milhas
Não as deixe acumular como um fundo de investimento de longo prazo. Sempre que puder, troque-as. “Tudo pode acontecer, sua companhia pode falir, pode ser vendida, pode aumentar o número de milhas necessárias para aquela viagem!

No ar, as estratégias são várias: procurar por voos com conexão, ficar atento a promoções, subir de status nos programas de milhagens, aproveitar as parcerias das companhias aéreas. Com tantas opções e programas de fidelidade, o que não dá é para deixar suas milhas ‘esquecidas’ em certas companhias aéreas ou – pior – viajar de avião e não se cadastrar para ganhar pontos ou deixar para depois.